Carregando...

OBSERVATÓRIO JURÍDICO

QUANDO O TRABALHO É UMA FONTE DE ADOECIMENTO




Esgotamento profissional, pelo stress no trabalho, é um forma de depresão laboral conhecida como Síndrome de Burnout

Você vai para o trabalho como se estivesse indo para um matadouro? Tem constantes sensações de exaustão, cansaço e fadiga, e a cada dia vai tomando aversão ao seu ambiente de trabalho? Anda evitando sair, odeia reuniões e está sem disposição para aquele papo do escritório, da loja ou da escola? Sente um vazio interior, absoluta falta de disposição e, nos domingos à noite e nas segundas, em especial, mal dá conta de ficar em pé? Anda cheio de sintomas físicos e vai a médicos, faz exames, tudo dá normal, e, no entanto, sente como se fosse consumido por uma constante virose ou por uma fadiga crônica?

Pois bem, é imensa a possibilidade de você sofrer da síndrome de Burnout ou, como preferem outros, síndrome do esgotamento profissional. Trata-se de uma quase falência da energia física e mental, quase uma depressão laborativa. E, se você for da área da saúde (enfermeiros em especial, médicos em enorme proporção, atendentes nas urgências, então, nem se fala), da área da educação (tanto que existe um capítulo à parte para os professores), profissional da tecnologia de informação, trabalhador do judiciário, de repartições públicas, bancário, ou daqueles que mais lidam com o público, fique de orelha em pé! Sem um mínimo de prazer, relaxamento e, por que não dizer, dom e talento, o trabalho pode ser altamente doentio.


TUDO PELO DINHEIRO

Fazer o que não se gosta, tendo como objetivo a mera sobrevivência salarial, agindo de forma robotizada, indiferente e torturante, é meio caminho para o inferno diário. Hoje, percebemos que há uma epidemia de insatisfação profissional contaminando o ambiente de empresas, com perda de produtividade e uma troca constante de empresas e empregos, como sinal dessa síndrome. Em um mundo rápido, competitivo, que exige especialistas em detrimento da criatividade, relaxamento, alegria e estímulo no trabalho, é preciso começar a pensar seriamente nesse problema que afeta a todos.

Afinal, passamos um terço da vida no trabalho e, para piorar, o ir e vir no trânsito caótico, em meios de transporte sufocantes, e ainda tendo que viver forçosamente em companhia de pessoas que muitas vezes são pesadas, insatisfeitas e queixosas. Dose pra leão!
Tem solução? Sim, e o primeiro passo é entender que, após um diagnóstico, tal quadro impõe tratamentos que podem ir desde o uso de medicação bem prescrita até apoio terapêutico, mudanças de rotina, exercícios aeróbicos, eliminação de cafeína e regulação de sono, entre outras medidas.

ECOLOGIA HUMANA

Bendita a empresa que investe em uma ecologia humana para seus funcionários, que entende que a morbidade, a angústia, o estresse sufocante são custos, e busca, assim, formas de combate ambiental a esse desastre que é a síndrome de Burnout. Quantas vezes atendo médicos com fobia de hospital, querendo desistir de tudo? Ou educadores dedicados que têm pânico só de ouvir a bagunça dos alunos ou pais hostis? Quantas carreiras são abandonadas, quantos talentos desperdiçados por uma inadequação do ambiente de trabalho?
Em um mundo que perde a cada dia a sensação, a percepção e a consciência do sentido da vida, mudar comportamento e buscar uma nova forma de existir começa de dentro para fora. Chega de viver em preto e branco e ficar trocando seis por meia dúzia. O tempo não para, e extrair do paralelepípedo a pedra preciosa é uma urgência de todos nós!

Por Eduardo Aquino

 


Histórico

Aumento do desemprego e a crise social

Enviado em:

OBSERVATÓRIO JURÍDICO

ADVOGADO QUE ABANDONA PROCESSO RECEBE MULTA?

Enviado em:

OBSERVATÓRIO JURÍDICO

STF BARRA ALÍQUOTA PREVIDENCIÁRIA NO AMAZONAS

Enviado em:

OBSERVATÓRIO JURÍDICO

RESOLUÇÃO DO STF PRORROGA TRABALHO REMOTO

Enviado em:

OBSERVATÓRIO JURÍDICO

REDUÇÃO DE JORNADA PELAS EMPRESAS AUMENTA

Enviado em:

OBSERVATÓRIO JURÍDICO

REDUZINDO SALÁRIOS PARA PRESERVAR OS EMPREGOS

Enviado em:

OBSERVATÓRIO JURÍDICO

IR NÃO INCIDE SOBRE PENSÃO MENSAL POR ACIDENTE

Enviado em:

OBSERVATÓRIO JURÍDICO

Insalubridade ou periculosidade?

Enviado em:

OBSERVATÓRIO JURÍDICO

MG: Recadastramento obrigatório de inativos

Enviado em:

OBSERVATÓRIO JURÍDICO

MULTA DE GREVE DESTINADA A SINDICATOS PATRONAIS

Enviado em:

OBSERVATÓRIO JURÍDICO

Fones:(61) 3226.0732
Cel: (61) 99277.3944 - (31) 98204 3695
SCS - Quadra 02 - Bloco C - No. 41 - Conjunto 304 CEP 700315-000 - Brasília-DF
Avenida Álvares Cabral, 344, Sala 1508, 15° andar - CEP: 31170-911 - Belo Horizonte/MG
agenciasocial@agenciasocial.org.br
© 2016 Agência Social Todos os direitos reservados
CNPJ: 18.773.244/0001-72